13.03.2019 | 15h57

Presidente da Caixa diz que está sendo atacado

Depois de 20 dias à frente da Caixa Econômica Federal, o presidente Pedro Guimarães,  trocou todos os vice-presidentes e 38 dos 40 diretores, 74% dos 84 superintendentes regionais além disso, também vai cortar R$ 3,5 bilhões em compras. Essas ações, segundo ele, têm gerado uma série de ataques.

“Não sei se isso foi feito em algum banco na história. Meu compromisso é com a Caixa. Não tenho outro compromisso”, diz Guimarães. “Estou sendo atacado diuturnamente. Por quê? Por que só eu mudei todo mundo ao mesmo tempo e vou economizar R$ 3,5 bilhões em dois anos”, disse ao Estadão. Para atingir a meta de economia até 2020, Guimarães planeja vender prédios que o banco tem em todo o País, inclusive agências próprias, e renegociar condições dos contratos do banco.


VOLTAR PARA O ESTADÃO