28.11.2018 | 14h27

Pré-sal da discórdia

De um lado estão o atual governo e Paulo Guedes. De outro, o Ministério da Fazenda contra o repasse para Estados e municípios de 20% dos R$ 100 bilhões que devem ser arrecadados com o leilão, informa o Estadão. A pasta considera que a divisão prejudica o Orçamento de 2019 e obrigaria o governo atual a cortar mais despesas para se adequar à regra do teto de gastos. Já o outro grupo acredita que a verba extra reduziria a pressão dos governadores eleitos por socorro do governo federal. Guedes quer condicionar a divisão dos recursos à aprovação de uma reforma da Previdência.


Mais conteúdo sobre:

pré-salPaulo Guedes
VOLTAR PARA O ESTADÃO