28.10.2018 | 15h16

Pós-eleição exporá crise no PT

Independentemente do resultado das urnas, o dia seguinte no PT será de disputa pelo comando. Na presidência da sigla, Gleisi Hoffmann agiu única e exclusivamente como porta-voz de Lula, negligenciando, se preciso fosse, a disputa presidencial, a formação de bancadas e as eleições estaduais.

Caciques petistas avaliam ao BR18 que, passado o processo eleitoral, caso se confirme a eleição de Jair Bolsonaro, o comando da deputada eleita será questionado pela ala nordestina do partido, a única a sobreviver mais ou menos de pé, com apoio do diretório de São Paulo, onde o partido ainda fez uma bancada razoável. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO