02.11.2018 | 18h07

Popularidade pode iludir (1)

Em lua de mel com os eleitores que lhe deram a Presidência, Jair Bolsonaro precisa ficar atento ao fato que o humor das pessoas têm mudado rapidamente em relação aos governantes. Em 2013, Dilma Rousseff tinha aprovação pessoal de incríveis 79% dos entrevistados pela pesquisa CNI/Ibope. Três anos depois, as pessoas celebraram seu impeachment.

Michel Temer assumiu no seu lugar sob enorme expectativa de que o governo pudesse reabilitar a economia e recuperar os empregos perdidos. Em menos de dois anos, Temer sobreviveu a dois processos que pediam sua degola e apanhou muito por conta das propostas das reformas Trabalhista e Previdenciária. Resultado: deixará o Planalto com baixissima aprovação popular. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

Bolsonaro
VOLTAR PARA O ESTADÃO