10.07.2018 | 11h10

‘Politização judicial com esteroides’

“A ética da imparcialidade judicial vigente no País é a da ‘la garantía soy yo'”, escreve Conrado Hübner Mendes na Época. Sob exemplo do STF, juízes e procuradores se declaram imparciais para julgar casos que, como o de Lula no domingo, não caberiam eticamente a eles. No texto, o jornalista avalia o estado atual do Judiciário, que estaria politizado e ignora rituais básicos da competência jurídica.


VOLTAR PARA O ESTADÃO