07.01.2019 | 14h47

Politicos longe dos bancos públicos

Nos últimos governos, era famosa a briga entre partidos aliados do presidente da vez em busca de espaço nas diretorias dos bancos públicos. Hoje, durante a posse dos novos presidentes dessas instituições financeiras, Jair Bolsonaro comemorou o fim dessa prática. O fato de o presidente ter nomeado diretores técnicos para essas funções não é garantia de que eles farão uma gestão sem influência politico-partidária nem serve como certeza de uma gestão eficiente. Mas a despartidarização desses cargos pode servir para fechar um histórico ralo de problemas.

Apenas um exemplo dessa politização das diretorias dos bancos públicos: Geddel Vieira Lima foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa de 2011 a 2013, durante o governo de Dilma Rousseff. Ele está preso atualmente. /M.M.

 

 


 

VOLTAR PARA O ESTADÃO