29.11.2018 | 11h04

Pezão guarda a sunga no armário

No dia 6 de setembro, o governador Pezão estava em contagem regressiva para o encerramento de seu mandato. “Faltam 116 dias”, dizia à revista Época. Não via a hora de sair de férias com a mulher, Mária Lúcia, para o Nordeste.

Preso nesta quinta, 29, o emedebista acumulava baixa popularidade e investigação por fazer parte de organização criminosa com um câncer no tecido ósseo. “No dia 1.º de janeiro, já saio daqui de sunga debaixo do terno. A Maria Lúcia queria sair dia 2. Falei: ‘Não, vamos sair dia 1º depois da posse”, afirmara à publicação.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO