26.10.2018 | 13h38

Pela lente acadêmica

O bolsonarismo é tema das mais diversas análises de cientistas políticos ouvidos pelo Valor em reportagem publicada nesta sexta, 26. É preciso recorrer desde as teses da neuropolítica, que relaciona comportamento político e emoções, à teoria da escolha racional para entender melhor a preferência do eleitorado, demonstrado via pesquisas, pelo candidato Jair Bolsonaro.

Quando o presidenciável é comparado a Donald Trump para atestar que a democracia se manterá vigente em caso de vitória do deputado, surge uma análise do polonês Adam Przeworski, citado pelo professor Cláudio Couto. A de que as ameaças ao sistema democrático são maiores em países pobres ou em desenvolvimento.


Mais conteúdo sobre:

democraciaJair Bolsonaroeleições
VOLTAR PARA O ESTADÃO