18.02.2019 | 12h23

Paulinho da Força e Cedraz, de novo

A Polícia Federal reforçou em novo relatório da Operação Registro Espúrio que o deputado Paulo Pereira da Silva (Solidariedade-SP) e Tiago Cedraz, filho do ministro do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz, além de mais 24 pessoas, fazem parte de organização criminosa que atuava no Ministério do Trabalho para desviar recursos públicos, informa o Valor. O documento foi enviado na semana passada ao STF.

Paulinho da Força, como é conhecido o parlamentar, e Cedraz, bem como Roberto Jefferson, foram denunciados em agosto por participar de esquema fraudulento na concessão de registros sindicais. Agora, a PF afirma que o bando dos 26 implicados cobrava propina para liberar restituição de contribuições sindicais. Eles negam qualquer prática ilícita.


VOLTAR PARA O ESTADÃO