12.02.2019 | 14h18

Para Virgílio, subsídio da Zona Franca não pode acabar

O prefeito de Manaus, Artur Virgílio, concordou com a posição da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que se disse contrária ao “desmame radical” de subsídios. Para o tucano, a situação é semelhante a da Zona Franca de Manaus, que corre risco de ver o governo retirar as condições diferenciadas que garantem sua viabilidade.

“Ela (a ministra) tem razão.Temos um dos mais produtivos agronegócios do mundo e o apoio não deve ser retirado abruptamente. O governo deveria passar um pente fino nos subsídios, excluir os inúteis e nocivos, e manter, sob vigilância atenta, os que servem ao País. É o caso da Zona Franca. Se ela acabar, a Floresta Amazônica do território amazonense será atacada pelos desesperados, o regime de chuvas mudará pra muito pior. E o mundo não nos perdoaria termos perdido o principal agente mitigador das consequências do aquecimento global: haveria problemas econômicos, políticos, diplomáticos e até militares. O mundo não aceitaria uma governança irresponsável sobre a maior floresta tropical do mundo, onde estão a biodiversidade e a água, commodity do futuro”, disse. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO