07.03.2019 | 19h36

Para filósofo, fala é um ‘convite à subversão da ordem’

Para o professor Roberto Romano, da Unicamp, a fala do presidente da República de que “só existem democracia e liberdade se as Forças Armadas o quiserem” é um “convite à subversão da ordem”. A seguir, o raciocínio do doutor em filosofia e autor do livro Razões de Estado e Outros Estados da Razão (Ed. Perspectiva):

“A fala do presidente pode ser entendida como uma imprudência que põe em situação delicada a instituição do regime democrático, o governo e sobretudo as Forças Armadas. Ele sugere para as Forças Armadas o papel de tutoras do País, quando se trata de garantir a democracia. Se existe democracia, ou seja, regime em que o povo é soberano, não é suportável qualquer tutela que significa usurpação de soberania. A imprudência da fala chega a ser um convite à subversão da ordem. O Brasil tem tudo a ganhar se o presidente se abstiver de mensagens e discursos que firam a ordem estabelecida.”

 

 

VOLTAR PARA O ESTADÃO