24.10.2018 | 11h51

Pai e filho atacaram STF

Assim como o filho, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) a quatro meses da eleição, também atacou o Supremo, segundo a Folha. O candidato disse que os ministros da Casa estavam “legitimando a corrupção”, que suas decisões estavam “envergonhado a todos” e que havia um “péssimo exemplo”, no tribunal. Na época, Bolsonaro chegou a dizer que iria ampliar o número de ministros, de 11 para 21, como forma de “dar um recado” ao STF.


VOLTAR PARA O ESTADÃO