06.02.2019 | 11h18

‘Os generais, quem diria’

“Mais astutos do que parte do entorno de Bolsonaro, os generais parecem ter percebido que a maioria dos eleitores de Bolsonaro não têm qualquer afeição pela ideologia da direita ultraconservadora”, escreveu Monica De Bolle no Estadão.

Para a colunista, com os generais, o Brasil parece correr menos risco de ser tomado pelo nacionalismo populista que avança no mundo. Têm sido eles a maior esperança para que o Brasil retome algum senso de competência e disciplina para enfrentar os grandes desafios que vêm pela frente.


VOLTAR PARA O ESTADÃO