29.07.2018 | 19h51

Os extremos nas alianças

Na maluquice em que se transformou o sistema partidário brasileiro, com dezenas de legendas com baixíssima representatividade, não é surpresa que se produzam situações extremas nas alianças políticas.

Sem qualquer coerência política, há casos como o da coligação em torno da reeleição do governador do Ceará, Camilo Santana, que reunirá 24 partidos em torno de um candidato. E vários casos de candidatos que disputarão sozinhos, como Jair Bolsonaro (PSL), Henrique Meirelles (MDB) e, possivelmente, Marina Silva (Rede). /M.M.


Mais conteúdo sobre:

alianças
VOLTAR PARA O ESTADÃO