13.08.2018 | 12h05

Opinião do Estadão: A trégua das agências de risco

“Num lance muito oportuno para o País, e especialmente para o próximo governo, grandes agências de classificação de risco resolveram reafirmar as notas de crédito do Brasil, apesar da incerteza quanto ao futuro das contas públicas e à orientação do novo presidente. Rebaixadas mais de uma vez a partir de 2015, no fim do governo da presidente Dilma Rousseff, as notas estão abaixo do nível de investimento, reservado aos países considerados seguros para financiadores e investidores.”

Trecho de editorial do Estadão desta segunda, 13.


VOLTAR PARA O ESTADÃO