05.10.2018 | 13h26

Onda de rupturas democráticas?

“Os brasileiros em breve enfrentarão um segundo turno no qual um dos dois candidatos será autoritário. Se eleito presidente, Jair Bolsonaro (PSL) representaria uma clara ameaça à democracia”, escreveu o autor de “Como as democracias Morrem”, Steven Levitsky, na Folha.

Para o cientista político, se a democracia falha por aqui, o Brasil, como país influente na América Latina, poderia gerar uma onda de rupturas democráticas no continente.


VOLTAR PARA O ESTADÃO