16.07.2018 | 08h20

O ‘voto de silêncio’ de Ciro

Ciro Gomes vinha numa escalada retórica. Disparou contra Fernando Holiday em entrevista à Jovem Pan, prometeu expropriar poços de petróleo privatizados em entrevista a uma revista norte-americana e se queixou de vaias pontuais que recebeu em sabatina na CNI depois de dizer que iria rever a reforma trabalhista. Tudo isso num intervalo de poucas semanas.

Mas desde que intensificou a conversa para fechar alianças com o PSB e com partidos do chamado “blocão” o candidato do PDT se calou, numa espécie de “voto de silêncio”. A estratégia visa consolidar apoios antes que o PT bata o martelo do nome que substituirá Lula como candidato da sigla. / V.M.


Mais conteúdo sobre:

LulaCiro GomesaliançasPDT
VOLTAR PARA O ESTADÃO