16.07.2018 | 06h08

O tombo das empreiteiras pós-Lava Jato

Foi de R$ 55 bilhões a queda do faturamento das seis maiores empreiteiras brasileiras desde 2015, quando a Lava Jato atingiu mais fortemente o setor, levando à prisão de executivos e donos dessas empresas. Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Mendes Júnior e Constran também registraram corte de 200 mil empregos em três anos, mostra o levantamento do Estadão. O tombo da Lava Jato foi agravado pela crise econômica, que atingiu muito fortemente o setor de infra-estrutura.


VOLTAR PARA O ESTADÃO