22.02.2019 | 07h13

O ‘tiro pela culatra’ da tropa de Janaína (1)

O modelo escolhido pelos aliados da candidatura de Janaína Paschoal para a presidência da Alesp parece estar sendo um tiro pela culatra. A pressão está sendo considerada “radical” pelos parlamentares de outros partidos e afastando votos que a candidata do PSL poderia ter. A principal insatisfação é que estariam divulgando o celular dos deputados eleitos nas redes sociais como forma de “pressioná-los” a votar em Janaína na eleição do próximo dia 15 de março, que definirá quem comandará a Casa pelos próximos anos.

A grande “baixa” até o momento é o deputado Barros Munhoz (PSB), que se colocava como um dos possíveis candidatos e conversava com Janaína sobre a possibilidade de uma troca de apoio em um possível segundo turno contra o  atual presidente e favorito à reeleição Cauê Macris (PSDB). “A campanha em favor da Janaína presidente está sendo totalmente errada e absurda”, disse Munhoz ao BR18. “Estão querendo destruir a Assembleia, xingando todo mundo. Eles estão se isolando naturalmente. Nunca houve na história da Alesp algo assim. É pouco democrático”, completou. (Continua)


VOLTAR PARA O ESTADÃO