05.09.2018 | 12h26

O salto nos gastos com pessoal na UFRJ

A turma do PSOL e do PC do B que tomou conta da UFRJ, responsável pela administração do Museu Nacional, destruído por um incêndio no domingo, atribui a tragédia à falta de verbas e de investimentos do governo federal. Mas destina a quase totalidade dos gastos da instituição, que alcançaram a cifra de R$ 3,2 bilhões (!) em 2017, para pagamento de pessoal.

Segundo reportagem publicada pelo Globo nesta quarta-feira, 5, as despesas com pessoal (ativos e inativos), que representavam 82% do total em 2013, chegaram a 87% do total no ano passado. Os gastos com o quadro de funcionários foram os únicos que cresceram acima da inflação no período, enquanto os recursos direcionados a investimentos e custeio (manutenção da atividade universitária, inclusive do museu), calculados em R$ 409 milhões em 2017, tiveram queda real. / J.F.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO