05.10.2018 | 08h04

O ranking das ‘junk news’

Apoiadores de Jair Bolsonaro (PSL) são aqueles que mais compartilham informações de fontes falsa ou de baixa credibilidade ou notícias distorcidas relacionadas às eleições no Twitter, a rede social em que é maior o engajamento em assuntos políticos. O levantamento, publicado pelo Estadão, foi feito pelo Instituto para Internet de Oxford e será divulgado nesta sexta-feira.

Esse tipo de informação inclui não só “fake news” e é chamado de “junk news”. Do total desse tipo de notícia divulgado no Twitter, 81% são compartilhadas por partidários de Bolsonaro. Apoiadores do petista Fernando Haddad divulgaram 54% dessas fontes de baixa qualidade.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO