11.07.2018 | 13h32

‘O que Crivella fez é corrupção’

“O uso de Deus para fins políticos é condenável sob todos os aspectos, inclusive religioso, mas o que interessa à gestão pública é que a atitude do prefeito do Rio fere os princípios da República”, escreve Míriam Leitão no Globo. A colunista reflete sobre o escândalo do “Café da Comunhão” no Rio de Janeiro e pondera que, independente de motivação religiosa, o que Marcelo Crivella fez foi “corrupção”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO