28.09.2018 | 07h16

O PT come quieto

Enquanto o fogo amigo consome a campanha de Geraldo Alckmin e ameaça até o líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro, no PT não se ouve um pio contra Fernando Haddad, mesmo que ninguém no partido morra de amores pelo candidato. A partir desta constatação, Eliane Cantanhêde conclui, na coluna no Estadão: “Assim se constroem derrotas e vitórias, e o PT sabe construir vitórias. Não venham praguejar depois”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO