14.09.2018 | 14h21

O príncipe e a ‘agiotagem’

Luiz Felipe de Orleans e Bragança, herdeiro da família real brasileira, insinuou que o presidente do PSL, Gustavo Bebianno, e seu sócio, Julian Lemos, pretendiam que ele lhes desse dinheiro em troca da indicação para vice de Jair Bolsonaro. Em entrevista à Crusoé, o “príncipe” diz que eles agiram “como se fossem agiotas” nas negociações, mas ao mesmo tempo afirma que não lhe pediram dinheiro –o que faz com que levante uma insinuação, não uma acusação.

O episódio é mais um capítulo de desentendimento entre setores do bolsonarismo, que se acentuaram depois que ele sofreu o atentado a faca. Bragança aparentemente se arrependeu da entrevista: em sua conta no Twitter desconversou sobre a grave insinuação que fez à revista, embora não desminta as declarações.


VOLTAR PARA O ESTADÃO