07.01.2019 | 10h00

O peso das palavras

“Os transtornos começam com a chefia, que parece desconhecer ou discordar das decisões da equipe econômica e faz declarações controvertidas (sobre propostas para a Previdência, criação/aumento de impostos, acordo entre Embraer e Boeing), que são desmentidas ou “ajeitadas” em seguida”, escreveu Cida Damasco no Estadão.

A colunista reconheceu que divergências são comuns e que a novidade, nesse caso, é que o presidente Jair Bolsonaro é o responsável por ampliar a confusão. Parece que Bolsonaro ainda não entendeu o peso de suas palavras.


VOLTAR PARA O ESTADÃO