19.04.2018 | 10h42

O perigo da Justiça seletiva

Susan Rose-Ackerman, professora de direito e ciência política na Universidade Yale, nos Estados Unidos, alerta que o ritmo de condenações no Brasil não pode diminuir após a prisão de Lula. Em entrevista à Folha, a especialista defende que não se pode passar a percepção de que a Justiça é seletiva.

“É necessário manter a confiança na Justiça e na luta contra a corrupção, mas também manter a confiança no futuro democrático do Brasil. Há outros líderes políticos, além de Temer e Lula, envolvidos nos casos de corrupção, e não seria uma boa ideia que juízes agissem como políticos”, disse.


Mais conteúdo sobre:

prisãoprisão de Lula
VOLTAR PARA O ESTADÃO