01.10.2018 | 16h00

O ‘organograma’ da Petrobras

No primeiro anexo de sua delação, cujo conteúdo foi tornado público pelo juiz Sergio Moro, Antonio Palocci detalha a divisão de diretorias da Petrobras por PT, PP e PMDB da forma como ele já foi descrito pela Lava-Jato, e confirma que a disposição dos partidos era arrecadar dinheiro, não só no período eleitoral, em conluio com as grandes empreiteiras nacionais.

Ele relata a reunião de 2010 com Lula, Dilma Rousseff e José Gabrielli em que pela primeira vez o então presidente teria feito menção à necessidade de arrecadar propina e teria encarregado a ele, Palocci, de cuidar dessa tarefa na campanha da então ministra. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO