23.10.2018 | 08h35

O governo, o pai e o filho

“Podemos esperar retrocessos em várias áreas, mas dificilmente veremos a reedição de uma ditadura. Nosso sistema de freios e contrapesos está longe do ideal, mas é mais do que uma peça de ficção constitucional. Embora difícil, não é impossível que Bolsonaro e a família saiam mais civilizados dos quatro anos de mandato”, escreveu Hélio Schwartsman na Folha.

A partir do comentário do deputado eleito Eduardo Bolsonaro (PSL), filho de Jair Bolsonaro (PSL), o colunista discute as possibilidades de como será o eventual governo do ex-capitão. Para ele, o mais provável é que por meio de discurso truculento, ele deve deslegitimar instituições para, em seguida, ampliar seus poderes.


VOLTAR PARA O ESTADÃO