12.09.2018 | 13h20

O ‘ferrão’ de Bolsonaro

“Jair Bolsonaro não se emenda. No próprio leito do hospital, recuperando-se da facada que quase o estripou, posa para fotos fazendo gestos de quem dispara com as duas mãos, sugerindo as armas de fogo que ele quer ver na cintura de cada brasileiro —embora, se tivesse sido atacado com uma delas, não estaria mais aqui para repetir o gesto”, escreveu Ruy Castro na Folha.

O colunista acredita que a melhor estratégia para Bolsonaro teria sido “recolher o ferrão” – comparando-o a um escorpião – e recuado em seus atos e ataques. Mas, a natureza do candidato parece ser mais forte. Com isso, aumenta o risco de, por força do hábito, “dizer algo fatal e picar a si mesmo, encerrando o assunto”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO