11.03.2019 | 10h48

O feitiço virou contra o feiticeiro?

O feitiço parece ter virado contra o feiticeiro e agora os servidores públicos vão usar contradições e falas antigas do presidente Jair Bolsonaro para tentar barrar pontos da reforma da Previdência que endurecem as regras da aposentadoria para os servidores públicos, de acordo com o Estadão. “Você já tem alíquota de imposto de renda altíssima, que não é corrigida ano após ano. Acho injusta essa questão: 11% (alíquota previdenciária atual dos servidores) é suficiente, mais os 27,5% do Imposto de Renda”, disse Bolsonaro, em entrevista logo após assumir o mandato, no início de janeiro.

“Esse tipo de contradição, e outras, iremos explorar para enfraquecer a base governista”, afirmou Mauro Silva, diretor da Unafisco, entidade que representa os auditores fiscais da Receita Federal. Quem ingressa na carreira começa ganhando R$ 21 mil mensais, salário que pode chegar a R$ 27,3 mil com as progressões.


VOLTAR PARA O ESTADÃO