10.11.2018 | 12h27

O fantasma da Grécia

Jair Bolsonaro citou ontem, pela segunda vez, o exemplo negativo da Grécia para justificar que algo precisa ser feito para conter as despesas crescentes na Previdência Social. Em 2010, os gregos quebraram, depois de passarem anos com gastos públicos descontrolados.

O presidente eleito citou que uma das razões de a Grécia ter estourado suas contas foi por ter adotado um fator previdenciário médio de 30%. “O Brasil está chegando a um limite na questão orçamentária, que quase tudo é despesa obrigatória”, disse, segundo informou Fernanda Nunes, do Broadcast. “A questão previdenciária, a despesa tem subido assustadoramente. Não queremos nos transformar no que foi há pouco tempo a Grécia. Agora, todos têm que entender que está complicada a questão da Previdência”, disse.


VOLTAR PARA O ESTADÃO