04.04.2018 | 08h46

O entusiasmo de Gilmar

Os vaivéns do STF em questões sobre a aplicação ou não da pena após condenação em segunda instância podem não ensinar muito sobre a boa aplicação do direito, mas são “uma verdadeira aula sobre a natureza humana”, diz Hélio Schwartsman em sua coluna na Folha.

Ele opina que mesmo mudanças de posição aguardadas, como a de Gilmar Mendes, não são exatamente espanto, pois ele já dava demonstrações de que mudaria de ideia. Mas alfineta: “Aliás, na ocasião do julgamento original, Mendes fez uma defesa tão entusiasmada e consistente da execução provisória que fico curioso para saber o que ele vai dizer para opor-se à sua argumentação prévia”.

 


Mais conteúdo sobre:

STFgilmar mendesLula
VOLTAR PARA O ESTADÃO