23.10.2018 | 08h19

O desânimo de Haddad

Fernando Haddad chegou praticamente afônico ao Roda Viva. Durante a entrevista, falou em tom baixo, para poupar a voz, e manteve o senho preocupado, que em nada lembrava a expressão algo irônica que adotou em sua entrevista ao Jornal Nacional no primeiro turno, como comparação.

Ele disse ainda apostar em apoios que revertam a onda pró-Bolsonaro, declarou preocupação com riscos à democracia e até brincou no intervalo, mas o teor das respostas e a forma como ele admitiu alguns erros da campanha e do PT mostravam um candidato abatido, quase resignado com um resultado adverso indicado pelas pesquisas. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO