27.07.2018 | 13h23

O desafio de lidar com o ‘fenômeno’ Bolsonaro

Em reportagem de capa da edição publicada nesta sexta-feira, 27, a Veja discute o “fenômeno” Bolsonaro, “o candidato que não tem partido grande, nem aliados fortes, nem dinheiro, nem tempo de TV, mas permanece firme e forte”. Segundo a revista, a eleição de Bolsonaro seria um “enorme retrocesso” do ponto de vista comportamental e dos direitos humanos e uma “incógnita” na economia.

“Bolsonaro exerce seu sétimo mandato como deputado federal — com uma atuação inexpressiva. Nesses anos todos, só se destacava por declarações em que fazia questão de mostrar­-se duro ou debochado com gays, negros, mulheres, imigrantes e tudo o que diz respeito a direitos humanos”, diz a reportagem. “Bolsonaro sempre foi um estatista, simpático ao protecionismo comercial, desconfiado do capital estrangeiro. Agora, sob a orientação do economista Paulo Guedes, seu futuro ministro da Fazenda em caso de vitória, ele tenta apresentar-se como outro.” / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO