03.09.2018 | 23h23

Do Fucs: O chororô do PT na ONU (2)

A tentativa do PT de impor a narrativa de que o pedido do Comitê de Direitos Humanos da ONU deveria ser respeitado como uma ordem suprema ao País, ocupa, desde já, um lugar de destaque entre as grandes ficções da política nacional. Primeiro, porque o tal Comitê, de acordo como o próprio Escritório do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, ao qual ele oferece as suas recomendações, não tem qualquer poder institucional.

Segundo, porque chega a ser cômico, para quem não faz parte da seita, o PT tentar travestir a decisão do tal Comitê como “decisão da ONU”. Terceiro, porque para quem vive reclamando das ‘influências estrangeiras’ é uma tremenda ironia se empenhar para sobrepor uma (pseudo) decisão internacional às leis brasileiras. E quarto, porque foi Dilma — e não os adversários do partido — quem não deu sequência à tramitação do protocolo que internalizaria ao ordenamento jurídico do País as decisões do Comitê. (leia aqui a primeira parte da nota) / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO