17.10.2018 | 08h49

O choro dos derrotados

“Embora ainda não tenha sido decidida em vários Estados e na principal disputa, pela Presidência da República, a eleição de 2018 já desmascarou muitas farsas e desmanchou vários mitos de pés de barro, que terminaram sucumbindo a novos parâmetros, até então desconhecidos”, escreveu José Nêumanne no Estadão.

Para o colunista, a não reeleição de nomes tradicionais da política nacional foi uma decisão exemplar da população que queria renovação. E por isso, o discurso e o chororô de alguns derrotados se mostra um desrespeito às decisões do eleitor.


VOLTAR PARA O ESTADÃO