20.08.2018 | 11h30

O ‘chique’ é defender o sistema alemão

Existe um modismo atual no Brasil de defesa do sistema eleitoral alemão, um dos mais complexos do mundo, contra o sistema proporcional de lista aberta praticado no Brasil para escolha de deputados e vereadores. Os defensores do sistema distrital misto alemão esquecem que as eleições proporcionais  “ocupam posição subordinada no sistema eleitoral brasileiro”, escreve Fernando Limongi, no Valor.

“As eleições presidenciais e as para os governos estaduais são as que mais importam para os eleitores, para os políticos e, consequentemente, para os interesses organizados. São elas que ditam a lógica do sistema”, afirma.


Mais conteúdo sobre:

distrital mistomodelo alemão
VOLTAR PARA O ESTADÃO