23.09.2018 | 07h20

O ‘cavalo Brasil’ de Mourão

“O Brasil é um cavalo que precisa de um ginete com luvas de seda, cintura de borracha e pernas de ferro”.  A associação, feita pelo General Mourão, vice de Bolsonaro, em Catanduva, no interior paulista, na quinta-feira, 20, costuma ser usada por ele para atacar o tamanho do Estado brasileiro, criticar a crise política e econômica e exaltar o potencial de desenvolvimento nacional, diz o repórter especial Pablo Pereira, em perfil publicado pelo Estadão neste domingo, 23.

Mourão revela que a comparação do Brasil com um cavalo se deve a uma característica muito pessoal. “Sou um amante da arte equestre”, confessou em Catanduva. Segundo ele, o Estado brasileiro, pesado e caro, é como “um animal capaz de saltar 1m80, mas que está sendo montado por um ginete de 180 quilos, de mão pesada e pernas frouxas”. “Temos de desamarrar esse animal maravilhoso”, afirma. “O governo tem de dar a ordem e as senhoras e senhores, o progresso”.  / J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO