28.05.2018 | 13h49

‘O Brasil na lama’

Jair Bolsonaro criticou o uso de estatais e ministérios como “moeda de troca” nas eleições. Ele acha que o enxugamento da máquina administrativa garantiria o corte de gastos para o governo em vez de “jogar na conta da população” as despesas, como aconteceu no aumento dos combustíveis.

“Esse é o problema de usar estatais e ministérios como moeda de troca em eleições, você não pode cortá-los pois estará cortando suas próprias pernas, a chamada “governabilidade”, diz. “Reduzir ministérios, privatizar e até extinguir parte das estatais e dar nomes qualificados antecipadamente, visando crescimento e não vitória em eleições, são armas fortes contra a corrupção e ineficiência. Pensamos diferente! Insistir no mesmo de sempre é manter o Brasil na lama”, afirmou Bolsonaro. /M.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO