30.12.2018 | 11h15

O bate-boca pela posse de armas

Como era previsível, o anúncio feito por Jair Bolsonaro avisando que pretende facilitar a posse de armas através de decreto presidencial deflagrou um bate-boca virtual entre seus adversários e rivais. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que a decisão servia para pagar “os débitos com o lobby da indústria das armas”. E acrescentou: “A criminalidade também agradece o acesso facilitado. Que Deus nos proteja”.

Foi a senha para a reação do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente eleito. “Não há lobby. Nos inspiramos em democracias e não em ditaduras que desarmam seus cidadãos para depois fazerem o que a história mostra. Está claro que a condição para posse é não ter antecedente. Quem quer cometer crime não está preocupado em se adequar à legalidade. Custa pensar!”, rebateu. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

decreto das armasporte de arma
VOLTAR PARA O ESTADÃO