01.04.2018 | 17h20

O algoritmo da corrupção

Outro procurador da Lava Jato, Roberson Pozzobon, também assumiu publicamente, em suas redes sociais, o apoio pela prisão em segunda instância.

“Criminosos de colarinho branco põem tudo na ponta do lápis, sobretudo os custos e benefícios de seus crimes. Nesse algoritmo da corrupção, quão maior será o incentivo para o ilícito, caso se retroceda ao entendimento de que pena no Brasil só se cumpre depois de 3 ou 4 instâncias”, questionou. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

Roberson pozzobonLava Jato
VOLTAR PARA O ESTADÃO