15.08.2019 | 17h44

Novo tenta reverter votação simbólica sobre abuso de autoridade

O líder do partido Novo, Marcel Van Hattem (RS), afirmou que seu partido entrará com um mandado de segurança no STF para tentar reverter a votação simbólica de quarta-feira, 14, na Câmara a respeito do projeto de lei que criminaliza o abuso de autoridade. O partido quer que o STF determine a votação nominal da proposta, ou seja, quer tornar públicos os votos individuais dos deputados com relação ao PL.

Pelo regimento, os parlamentares podem contestar essa forma de votação, porém é necessário que um número mínimo de 31 deputados levantem a mão pedindo a verificação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), considerou que não havia quórum suficiente ontem para a contestação, porém o Novo discorda. “Havia muita gente no fundo e nas laterais do plenário com a mão levantada. Tínhamos oitenta folhas de ofício já distribuídas pedindo votação nominal. 46 assinaturas em requerimento”, afirmou Van Hattem, segundo o Broadcast Político.


VOLTAR PARA O ESTADÃO