31.08.2018 | 17h57

Novo apoia dissolução de empresas da Lava Jato

O Partido Novo, de João Amoêdo, defende a “dissolução compulsória da pessoa jurídica”, prevista na Lei Anticorrupção de 2013, no caso da Odebrecht, OAS, JBS e de outras empresas investigadas e condenadas na Lava Jato e em escândalos de corrupção. A proposta, feita pelo economista Gustavo Franco, presidente da Fundação Novo e ex-presidente do Banco Central, foi revelada em entrevista de @joaoamoedonovo ao site InfoMoney.

Segundo Amoêdo, o projeto não destruiria empresas e empregos. “O projeto mantém o quadro técnico e a tecnologia, mas muda o nome e tira o dono da empresa, quando forem casos sérios como o da Odebrecht”, afirmou. / J.F.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO