10.04.2018 | 07h14

Nova nuvem de imprevisibilidade

A prisão de Lula não provocou comoção nacional. Eliane Cantanhêde nota em sua coluna no Estadão a normalidade que se seguiu à prisão do petista e nota que a maior reação veio do mercado, com a alta do dólar.

“A reação, pois, foi menos popular e mais do mercado – e não à prisão em si, mas pela nuvem de imprevisibilidade que ela joga sobre uma eleição já tão perigosamente imprevisível. Lula vai insistir na candidatura, mesmo preso em Curitiba? Se não, qual sua capacidade de transferência de votos para o plano B do PT? Que será quem? Bolsonaro, o segundo colocado, perde ou ganha com esse fato novo?”, questiona.

 


Mais conteúdo sobre:

Lulasegunda instânciaSTF
VOLTAR PARA O ESTADÃO