10.02.2019 | 08h31

No PSL, candidata gastou R$ 400 mil por 274 votos

A Folha traz neste domingo novo capítulo de sua série de reportagens sobre o possível uso de laranjas pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, nas eleições de 2018. Desta vez, mostra que o presidente da sigla, Luciano Bivar, recém-escolhido vice-presidente da Câmara, lançou em Pernambuco uma candidata que recebeu R$ 400 mil do fundo eleitoral, o terceiro maior repasse do partido no País (superior inclusive ao de Jair Bolsonaro e a de campeões de votos como a deputada paulista Joice Hasselmann), e só teve 274 votos.

O dinheiro foi enviado em nome de Maria de Lourdes Paixão, 68 anos, três dias antes da eleição. Ela, que é secretária administrativa do PSL no Estado, declarou ter gastado 95% do valor repassado numa única gráfica, para a impressão de 9 milhões de santinhos e 1,7 milhão de adesivos na véspera da eleição. No endereço fornecido à Justiça Eleitoral, não existe gráfica. E a candidata que recebeu tantos recursos não se lembra direito da campanha.


VOLTAR PARA O ESTADÃO