22.03.2018 | 17h51

No intervalo, debate sobre exceção ou não para Lula

Está explicada a falta de consenso no looooooongo intervalo dos ministros do Supremo: diante da evidência de que os votos se estenderiam, debateram sobre ir noite adentro ou não, marcar uma sessão extraordinária ou não.

Houve divergência, mas uma ideia prevaleceu: Lula deve ser tratado como um “paciente” como os outros, sem excepcionalidades. Nesses casos, os HCs que não são julgados no mesmo dia voltam na sessão seguinte. No caso, em 4 de abril. O tema é sensível e deve gerar novo debate no plenário. /V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO