27.10.2018 | 08h59

‘Nenhum conteúdo de Zap é próprio dele’

Na explicação que dá quando diz que as fake news não foram decisivas nestas eleições, o professor Fábio Malini, da UFES, primeiro, lembra que não há pesquisa científica que mostre uma relação causal entre o fenômeno e mudança de votos de indecisos. Depois, acrescenta que as histórias falsas vão apenas reforçar credos já arraigados no eleitor.

Em caso de uma informação indigesta ao grupo, seus integrantes vão disparar uma versão contrária pelas redes, não fazê-los mudar de ideia. “Nenhum conteúdo que circulou no “Zap” é próprio dele. Esteve no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube. E deriva de uma mesma estrutura política dessas plataformas, que impulsionam a criação de um ensimesmamento coletivo”, escreve na Folha.


Mais conteúdo sobre:

fake newsFábio Malini
VOLTAR PARA O ESTADÃO