26.02.2019 | 19h03

‘Não há como a PEC ser votada antes do projeto militar’

Com a bagunçada articulação política da base do governo no Congresso, cada vez mais aliados da reforma da Previdência avisam que não há como o texto ser debatido de forma independente da mudança nas regras para aposentadoria dos militares. Nesta terça-feira, 26, após reunião com o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio, reforçou que ambos os textos terão que caminhar juntos. “Compromisso de Rodrigo Maia (presidente da Casa) é que não há como a PEC (da Previdência) ser votada antes do projeto militar”, disse. A perspectiva do governo era enviar o projeto com as mudanças específicas para as Forças Armadas até o dia 20 de março, mas já se fala que o texto pode ser adiantado.

 

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO