01.01.2019 | 17h36

Nada de Bolsonaro pregar ‘união’

Ao contrário do que prega o protocolo, Jair Bolsonaro não falou em seu discurso para a nação de “união” entre os brasileiros, nem de que será o presidente de todos, dos que votaram e dos que não votaram nele. Pelo contrário, o tom belicista da campanha permaneceu e ganhou novos contornos. Falou que não vai deixar  que “ideologias nefastas destruam as famílias”, pregou contra o socialismo e emendou: “Nossa bandeira só será vermelha se for de sangue para mantê-la verde e amarela”.


Mais conteúdo sobre:

Jair Bolsonaro
VOLTAR PARA O ESTADÃO