13.07.2018 | 20h02

Na boleia dos caminhões de Ciro e Bolsonaro

Em artigo publicado no Estadão nesta sexta-feira, 13, o economista Rogério Furquim Werneck, da PUC do Rio, toma emprestada uma ideia de Leonel Brizola — numa campanha eleitoral, cabe todo mundo na carroceria do caminhão, mas, na boleia, só pode estar quem for de confiança — para analisar as perspectivas das candidaturas de Ciro e Bolsonaro nestas eleições.

Segundo Werneck, ao dizer que tentaria primeiro fazer acordos com o PSB e o PCdoB, para assegurar “hegemonia moral e intelectual” à coalizão, Ciro afastou partidos mais à direita, como DEM e PP, que se irritaram com a sugestão de que, em seu caminhão, só teriam lugar na carroceria. Para Werneck, os problemas de Bolsonaro são semelhantes. Embora se venda como “outsider”, ele está flertando com o PR, de Valdemar Costa Neto.”É difícil que Bolsonaro consiga manter essa farsa com Valdemar Costa Neto aboletado ao seu lado no caminhão”, diz./ J.F.


VOLTAR PARA O ESTADÃO